Felsberg Advogados
Home | Transporte aéreo tem recorde de demanda e oferta em julho
Publicações

Transporte aéreo tem recorde de demanda e oferta em julho

Fonte: Brasil Econômico

Taxas foram as maiores para o período desde o início da série histórica elaborada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), em 2000.

A demanda pelo transporte aéreo brasileiro atingiu um nível recorde no mês de julho, ao apresentar uma taxa de crescimento de 7,86% no quesito passageiros por quilômetros pagos transportados (RPK), na comparação com o mesmo período do ano passado, para um total de 8,237 milhões de clientes atendidos.

No acumulado do ano, o indicador registrou alta de 7,39%, para 50,371 milhões de passageiros.

A taxa de ocupação também alcançou patamar recorde em julho, com um incremento de 2,06% nos assentos por quilômetros oferecidos (ASK), para 10,367 milhões de lugares.

De janeiro a julho, esse indicador subiu 7,47%, para 70,536 milhões de assentos.

A Tam apresentou, em julho, uma expansão de 10,11% na demanda, enquanto a Gol teve um recuo de 7,07%.

Entre as companhias com participação acima de 1% no mercado doméstico, destaque para o crescimento na demanda da Avianca, de 70,22%, e na Trip, com alta de 68,66%.

No acumulado de janeiro a julho, a demanda da Tam subiu 1,27%. Já a da Gol caiu 3,21%.

A Tam manteve a liderança na participação de mercado no Brasil em julho passado, medida pelo RPK, com 41,87% do total, ante 41,01% em igual período de 2011.

No ano, a participação da companhia chega a 40,03%, frente a 42,45% na relação anual.

A Gol aparece com 32,95%, em julho, contra 38,24% no mesmo mês do ano passado.

De janeiro a julho, a participação da Gol é de 33,92% (37,63% em 2011).

A participação dividida pelas demais empresas aéreas que atuam no Brasil avançou de 20,75% para 25,19%.

Mercado internacional

A demanda por transporte aéreo internacional de passageiros das empresas brasileiras teve uma queda de 2,33% em julho, e a oferta registrou declínio de 1,34%.

No ano, a demanda avançou 0,59%, e a oferta cedeu 1,79%.

A participação da Tam recuou 1,03%, para 87,11%, e a da Gol cresceu 22,86%, para 12,89%.

Topo Voltar