Felsberg Advogados
Home | Seis formas de se proteger contra a alta do dólar na hora de viajar
Publicações

Seis formas de se proteger contra a alta do dólar na hora de viajar

Leticia Bragaglia, do Economia & Negócios

Seis formas de se proteger contra a alta do dólar na hora de viajar

SÃO PAULO – Turistas que abusaram do cartão de crédito nas viagens ao exterior agora sofrem para pagar a fatura por causa da alta do dólar.

1 – PLANEJAMENTO: O primeiro passo para aproveitar uma viagem internacional sem deixar que ela se torne uma dor de cabeça é encontrar um destino que caiba no seu orçamento. Pesquise bastante nas agências de viagem e nos sites antes de tomar uma decisão. No caso das famílias, é possível encontrar pacotes e hotéis que incluam crianças por preços mais baratos ou até de graça.

2 – PASSAGENS AÉREAS: A compra de passagens aéreas com antecedência garante preços mais baratos. Em alguns sites é possível encontrar grandes promoções, que começam a valer a partir da meia noite. Como as passagens oferecidas nesses casos são muito mais baratas, costumam se esgotar rapidamente. Vale a pena ficar acordado até esse horário para garantir uma pechincha. Passagens compradas pelo sistema de milhagem também devem ser reservadas o quanto antes. Quem deixa para fazer a reserva em cima da hora acaba gastando mais milhas, além de ter menos opções de datas e horários.

3 – DATA: Se possível, evite viajar nos feriados e nas férias. Hotéis e passagens sempre são mais caros na alta temporada

4 – DINHEIRO VIVO: Quem viaja para fora do Brasil sempre está sujeito às oscilações do câmbio. Como é impossível cravar o momento em que o dólar ficará mais barato, os especialistas recomendam que o turista vá comprando dólares aos poucos, para fazer um preço médio.

5 – CARTÃO DE CRÉDITO: Use o cartão de crédito somente quando for imprescindível. Ele ficou menos vantajoso desde o ano passado, quando o governo aumentou a alíquota do IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras) de 2,38% para 6,38% para quem fizer compras no exterior. Além disso, quem usa cartão de crédito no exterior nunca sabe exatamente quanto terá que pagar, já que a cotação do dólar que vale não é a do dia da compra, mas sim a da véspera da data em que vence a fatura.

6 – CARTÃO DE DÉBITO: Uma opção interessante para quem viaja ao exterior é o cartão pré-pago. Nele, o consumidor paga 0,38% de IOF na hora de adquirir ou recarregar o cartão. Esse tipo de cartão pode ser usado no exterior como o cartão de débito é usado no Brasil. Também é possível fazer saques em caixas eletrônicos, pagando uma tarifa extra e recebendo na moeda do país onde a pessoa está. Alguns cartões pré-pagos também permitem realizar compras em sites no exterior.

Ao adquirir o cartão, o cliente pode escolher carregá-lo em dólar, euro ou libra esterlina. É na moeda escolhida que será efetuado o câmbio em relação ao real no momento de colocar o dinheiro no cartão, o que é uma grande vantagem. Esse modelo de cartão também permite que o consumidor o use em países que utilizam uma moeda diferente da de carga. Ou seja, ele pode ser carregado em dólar e utilizado em um restaurante na China. No caso do dólar, antes de adquirir o cartão pré-pago, é importante o cliente se informar qual tipo de moeda norte-americana é utilizado para fazer a conversão e comparar com o usado no cartão de crédito. Para o viajante, o dólar comercial é mais vantajoso que o dólar turismo por ter uma cotação menor em relação ao real. Caso a pessoa não utilize todo o dinheiro carregado no cartão pré-pago, ela pode guardar o cartão para uma próxima viagem já que o saldo não expira. Outra opção é sacar o valor em real no brasil. Nesse caso, é cobrado outro iof de 0,38%.

Topo Voltar