Os acordos setoriais mais complexos e relevantes para a destinação adequada de materiais poluentes começam a vingar depois de quase seis anos da nova política ambiental