Felsberg Advogados
Home | Santander reduz em até 12% taxa do crédito imobiliário
Publicações

Santander reduz em até 12% taxa do crédito imobiliário

Toni Sciarretta – Folha de São Paulo

Após os bancos públicos, o Santander decidiu ser o primeiro banco privado do país a cortar nas taxas de juros do financiamento imobiliário, segmento de maior crescimento do crédito brasileiro.

As maiores reduções serão para os clientes que trouxerem a conta de outro banco e aderirem a um pacote de serviços do segmento Van Gogh, de alta renda. Esses clientes terão taxa de 8,8% ao ano mais TR (Taxa Referencia) no financiamento de imóveis de até R$ 500 mil. Até então, a taxa média para esse cliente era de 10% para TR.

Segundo José Roberto Machado, diretor de negócios imobiliários do Santander, o objetivo é ganhar mercado de outros bancos e promover relacionamento de longo prazo com clientes que financiam a casa própria.

Entre os bancos privados, o Santander é o com crescimento mais agressivo no crédito imobiliário. A carteira do banco de financiamento para o consumidor pessoa física cresce em ritmo anual de 58%, enquanto a média de mercado é de 30%.

No começo de junho, o banco já havia ampliado o prazo do financiamento imobiliário para 35 anos um dia depois da Caixa Econômica Federal. O Santander foi o primeiro banco privado a anunciar essa expansão.

“O financiamento imobiliário ficou mais acessível com a redução dos juros e o crescimento da economia”, diz Machado.

A partir desta sexta-feira (10), a taxa máxima dos empréstimos será de 11% mais TR tanto para imóveis de menos de R$ 500 mil, que estão dentro das regras do SFH (Sistema Financeiro da Habitação), quanto os acima desse valor.

O pacote Van Gogh de serviço imobiliário custará R$ 45 e, além de taxas menores, dará acesso a assessoria imobiliária com documentação, seguros e descontos em investimentos, entre outros benefícios.

BANCOS PÚBLICOS

Em maio e junho deste ano, Banco do Brasil e Caixa já haviam melhorado suas condições para o crédito imobiliário.

A Caixa Econômica Federal foi o primeiro banco a reduzir o preço do crédito para a compra da casa própria.

Ela reduziu em até 21% as taxas nos financiamentos imobiliários, além de ter ampliado de 30 para 35 anos o prazo de financiamentos habitacionais com recursos da poupança.

No mês seguinte, foi a vez do Banco do Brasil anunciar também redução de até 21% na taxa de juros para a compra de imóveis.

O BB criou um novo modelo de composição de taxas que dá desconto de 0,5 ponto percentual para o cliente que pagar as prestações em dia e mais 0,5 ponto percentual para quem possuir conta salário no banco.

Topo Voltar