Felsberg Advogados
Home | Rumo pede à CVM registro de companhia aberta
Publicações

Rumo pede à CVM registro de companhia aberta

Por Natalia Viri e Ivo Ribeiro

A Rumo Logística, companhia de logística do grupo Cosan, entrou ontem com pedido de registro de companhia aberta à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), segundo informações no site da autarquia. A empresa quer seu registro na categoria A, que permite a emissão de ações.

A abertura de capital da Rumo é parte do processo de fusão com a concessionária ferroviária ALL, que já tem papéis em bolsa. Na operação, a empresa de logística incorporaria a companhia de ferrovias. Por isso, o registro vai permitir a emissão de ações que serão entregues aos acionistas de ALL, se a operação for aprovada.

A proposta de fusão, formalizada em 24 de fevereiro, está em processo de análise por dois fundos de pensão – Previ, dos funcionários do Banco do Brasil, e Funcef, ligado à Caixa – que fazem parte do bloco de controle da ALL. Além da gestora de recursos BRZ ALL (que tem como cotistas os fundos Petros, Funcef, Forluz, Valia, Postalis e outros).

A proposta da Rumo avaliou a ALL em R$ 6,958 bilhões e a si própria em R$ 4 bilhões. Todos os acionistas da ferrovia ficariam com 63,5% da companhia resultante da fusão. Favoráveis a essa proposta estão os controladores Wilson De Lara, Riccardo Arduini e esposa e a BNDESPar, que juntos detêm quase 70% das ações do bloco de controle da ferrovia.

Esses acionistas, mais os fundos de pensão, têm até dia 15 para manifestar o interesse na operação, aprovando ou não a proposta. Previ, Funcef e BRZ contrataram a Brasil Plural para elaborar um parecer que vai balisar sua decisão.

A Rumo, que tem como acionistas minoritários o fundo Gávea, de Armínio Fraga, e o americano TPG, ficaria com 36,5% do capital da “nova ALL-Rumo”.

Fonte: Valor Econômico de 4.4.2014.

Topo Voltar