Felsberg Advogados
Home | Petrobras anuncia recorde de processamento de petróleo, mas opera no limite da capacidade
Publicações

Petrobras anuncia recorde de processamento de petróleo, mas opera no limite da capacidade

‘Petrobras não consegue elevar a produção de derivados’, segundo especialista

NNpetro – Júlia Moura – Terça-feira, 8 Janeiro, 2013 – 14:00

Sem Título-1

A Petrobras informou nesta terça-feira (08) ter atingido, em 1º de janeiro, processamento recorde de petróleo nas refinarias. Em nota, a estatal divulgou que a carga refinada alcançou 2,111 milhões de barris, volume que representa cerca de 10 mil barris/dia superior ao recorde anterior, registrado no dia 12 de agosto de 2012.

O volume processado foi apenas 0,5% maior que recorde anterior. Para o especialista em energia e diretor do Centro Brasileiro de Infra Estrutura (CBIE), Adriano Pires, este volume representa um limite de capacidade da estatal. “Significa que a Petrobras não consegue elevar a produção de derivados mesmo em um momento em que sofre perdas significativas com a importação e venda de gasolina e diesel a preços defasados”, avalia Adriano Pires, em entrevista ao NNpetro.

Como a Petrobras importa, a preços internacionais, parte dos combustíveis e vende no Brasil, a preços controlados pelo Governo Federal – acionista majoritário -, a estatal registra perdas na margem de comercialização dos produtos.

Política de preço

Em dezembro, o presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (IBP), João Carlos De Luca disse que a política de preços dos combustíveis definida pelo Governo levou a Petrobras a perder um “pré-sal” em valor de mercado. A companhia deixou de arrecadar US$ 12 bilhões devido à defasagem de preços dos combustíveis no mercado doméstico, além de estar com o mesmo valor que possuía antes da descoberta do potencial do pré-sal, segundo De Luca.

“O resultado atingido contribui para a redução da importação de derivados e foi obtido graças aos investimentos para o aumento da eficiência operacional das refinarias e ao trabalho integrado da Petrobras”, diz a Petrobras através do comunicado.

Topo Voltar