Felsberg Advogados
Home | Odebrecht, Andrade e Delta reformarão Maracanã
Publicações

Odebrecht, Andrade e Delta reformarão Maracanã

Valor Econômico

Odebrecht, Andrade e Delta reformarão Maracanã

Paola de Moura e Juliana Ennes,

Após dois adiamentos, o consórcio Maracanã Rio 2014, formado por Andrade Gutierrez, Odebrecht e Delta, venceu a licitação para realizar as obras de reforma do Maracanã para a Copa de 2014. O vencedor ofereceu um lance de R$ 705,589 milhões, enquanto a OAS, segunda classificada na licitação, havia proposto R$ 712 milhões para realizar as obras. O lance menor ficou 2,14% abaixo do valor definido pelo governo, que era de R$ 720 milhões.

A lista de exigências e recomendações da Fifa obrigará o consórcio a praticamente reconstruir o estádio por dentro. As arquibancadas, com capacidade para mais de 80 mil pessoas, serão movidas de lugar e ganharão uma cobertura completa. Quatro rampas de acesso serão construídas e os camarotes mudarão de lugar e receberão uma varanda. Além disso, será instalado um sistema de informações para os torcedores, com telas distribuídas em todo estádio, e um novo sistema de segurança.

O prazo final para a entrega da obra é dezembro de 2012, porque o estádio precisa estar pronto para a Copa das Confederações, que será realizada em 2013. O torneio serve como uma espécie de teste para as instalações da Copa do Mundo. A Secretaria de Obras informou que o processo de financiamento de R$ 400 milhões, a ser oferecido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), já está em fase final. O restante dos recursos será proveniente do Tesouro Nacional.

No dia 15 de julho, foram entregues os documentos das empresas que pretendiam participar da licitação para a realização das obras do Maracanã. No dia 23, com a abertura das propostas, quatro dos seis consórcios inscritos foram inabilitados.

Ficaram de fora da disputa os consórcios Brasil 2014, composto por Sanerio, BA Engenharia e Hexagonal; Novo Maracanã, entre Queiroz Galvão e a Carioca Christiani-Nielsen; Construcap-Cetenco-Convap Maracanã, composto pelas empresas de mesmo nome; e um último, composto por Paulitec, Estacon Engenharia e Recoma.

A Delta, participante do consórcio vencedor, está sendo investigada pela Polícia Federal na operação Mão Dupla. Na quinta-feira foram expedidos 52 mandados de busca e apreensão, 27 mandados de prisão temporária e um mandado de prisão preventiva por suspeitas de fraudes na execução de obras do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) no Ceará, que envolvem a Delta e outras seis construtoras. Um dos diretores da empresa foi preso.

Topo Voltar