Felsberg Advogados
Home | Novo Ibovespa deve incluir Multiplan e Raia, diz HSBC
Publicações

Novo Ibovespa deve incluir Multiplan e Raia, diz HSBC

Por Téo Takar

No início de maio, a BM&FBovespa completará a troca de metodologia de seu principal índice acionário, o Ibovespa, na carteira teórica que irá vigorar até o fim de agosto. A nova metodologia leva em conta o total de ações em circulação (“free float”) no mercado, ponderado pela liquidez. A atual carteira do índice em vigor é um misto da antiga metodologia – cujo foco era a liquidez – e a nova.

De olho nas possíveis mudanças, o HSBC divulgou ontem relatório a clientes indicando quais deverão ser as possíveis adições e exclusões do Ibovespa a partir de 2 de maio. Os analistas Vijay Sumon, Joaquim de Lima e Christoffer Gundersen apontam as saídas de Prumo Logística (antiga LLX) e Dasa, e as entradas de Raia Drogasil ON e Multiplan ON, com pesos de 0,42% e 0,44%, respectivamente. O HSBC também vê uma chance remota de MMX ON ingressar no índice, com peso de 0,02%. A inclusão de Raia Drogasil ON equivale a um volume de 2,93 dias de negociação do papel, e a de Multiplan ON, a 2,78 dias de negociação.

O HSBC também calculou, entre os atuais papéis da carteira, quais poderão ter ganho maior de participação no índice: Itaú PN deve subir de 7,14% para 9,23%, com impacto de 1,01 dia de volume negociado do papel; Ambev PN passará de 4,09% para 5,42%, com efeito de 1,41 dia no volume; Bradesco PN deve aumentar seu peso de 5,75% para 6,96%, com impacto no volume negociado equivalente a 0,98 dia; Brasil Foods ON subirá de 2,54% para 3,56%, com impacto de 1,32 dia; e Vale ON aumentará de 3,71% para 4,66%, com impacto de 0,96 dia.

Em compensação, entre as ações que devem ter maior perda de importância no Ibovespa, segundo o HSBC, estão os atuais dois carros-chefes do mercado: Vale PNA cairá de 7,54% para 6,20%, com impacto de 0,49 dia no volume negociado; e Petrobras PN recuará de 7,55% para 6,86%, com efeito de 0,27 dia.

Outros papéis que também terão peso reduzido são: PDG Realty ON, de 0,82% para 0,21%, com 2,49 dias de efeito sobre a negociação do papel; Gafisa ON cairá de 0,60% para 0,16%, com efeito de 2,39 dias; Cyrela ON recuará de 0,67% para 0,27%, com 1,23 dia de efeito; e Usiminas PNA sairá de 0,96% para 0,56%, com impacto de 0,84 dia na negociação do ativo.

“Nós recomendamos que os investidores aproveitem o evento, aumentando sua participação nos papéis com grande chance de entrar no índice, mantendo essa posição até 30 de abril, véspera do rebalanceamento da carteira teórica”, afirmam os analistas no relatório. O HSBC estima um volume financeiro de cerca de US$ 1,5 bilhão (R$ 3,5 bilhões) apenas proveniente de fundos passivos, obrigados a ajustar suas carteiras no início de maio.

A primeira prévia da próxima carteira teórica do Ibovespa será divulgada na terça, 1º de abril. Ela deve entrar em vigor no fechamento do pregão de 2 de maio.

Fonte: Valor Econômico de 28.3.2014.

Topo Voltar