Felsberg Advogados
Home | Nova York processa UBS por fraude
Publicações

Nova York processa UBS por fraude

Valor Econômico

Nova York processa UBS por fraude

O Estado de Nova York abriu um processo contra o UBS , acusando o banco suíço de cometer uma “fraude multibilionária” ao direcionar clientes da corretora para títulos atrelados a leilões de juros que se tornaram impossíveis de serem vendidos depois que o mercado de crédito ficou mais restrito.

O processo, aberto pelo procurador do Estados de Nova York, Andrew Cuomo, acusa o UBS de enganosamente vender títulos atrelados a leilões de juros como equivalentes de dinheiro.

Em função do processo, o UBS demitiu o responsável pelo seu setor de bônus nos Estados Unidos, afirmou no sábado o “The Wall Street Journal”. Segundo fonte do próprio UBS, David Shulman, que também era o responsável pelas “obrigações municipais” em todo o mundo, estava suspenso em julho.

Os títulos de longo prazo são emitidos por municipalidades, empresas de crédito estudantil e fundos mútuos, e as taxas de juros são estabelecidas em leilões semanais ou mensais.

O processo afirma que pelo menos sete executivos do UBS se desfizeram de US$ 21 milhões em títulos que possuíam em contas pessoais, à medida que o mercado de crédito começou a dar sinais de problemas, e que o banco continuou a vender tais títulos. O UBS “deu continuidade à fraude depois de saber que ela havia sido revelada”, afirmou Cuomo, em conferência.

“Grandes executivos deixaram o barco assim que o mercado de títulos entrou em colapso, deixando milhares de clientes com um problema nas mãos.”

“Queremos recuperar bilhões de dólares em nome dos clientes do UBS e enviar uma mensagem forte ao resto da indústria para indicar que este tipo de conduta enganosa não será tolerada”, afirmou Cuomo.

Segundo ele, em fevereiro, mais de 50 mil clientes do UBS nos EUA detinham mais de US$ 25 bilhões em títulos sem liquidez. O banco afirmou que irá se defender contra as acusações.

Os Estados de Massachusetts e Texas também já tomaram providências legais contra o UBS, alegando que o banco continuou a promover títulos de leilões de juros como seguros quando na realidade eles eram de risco. “O UBS não está sozinho neste esquema. Há outras instituições com participação, mas o UBS é um dos personagens principais”, disse Cuomo.

As ações do UBS caíram 7% nos EUA na véspera, quando o processo foi iniciado, e nesta sexta-feira, os papéis do banco na Europa chegaram a cair 7,22%.

Topo Voltar