Felsberg Advogados
Home | Estado e Prefeitura de SP farão reajustes escalonados na tarifa de transporte
Publicações

Estado e Prefeitura de SP farão reajustes escalonados na tarifa de transporte

Objetivo é atenuar o impacto na inflação, que pode chegar a 1 ponto porcentual; tarifa de metrô, CPTM e EMTU deve subir em abril, e a do ônibus municipal, em junho

O Estado de São Paulo

SÃO PAULO – O governo do Estado de São Paulo e a Prefeitura paulistana farão reajustes escalonados nas tarifas dos transportes públicos, respectivamente em abril e junho, para minimizar os impactos dos aumentos na inflação, a pedido do governo federal. O reajuste do transporte estadual (metrô, CPTM, EMTU) equivale a 0,426 ponto porcentual na inflação. Já a Prefeitura não soube informar o impacto do reajuste do transporte urbano, mas estima que o total, junto com o governo estadual, possa ser de 1 ponto porcentual.

Os porcentuais de reajuste, no entanto, ainda não estão definidos, mas o aumento do metrô e da CPTM e ônibus metropolitanos, a cargo do governo do Estado, deverá ocorrer em abril, aponta o secretária estadual dos Transportes Metropolitanos. “Houve entendimento que o reajuste será diluído para não impactar na inflação”, afirmou Fernandes.

Já o secretário de Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, afirmou que o reajuste de junho deve obedecer a inflação acumulada em quase dois anos que não houve mudança no preço das passagens. No entanto, além de não haver um porcentual definido, não foi acertado se haverá um aumento no subsídio dado pela Prefeitura às empresas de ônibus para mitigar o impacto ao usuário.

Os dois secretários participaram nesta terça-feira, 22, de uma reunião entre o governador Geraldo Alckmin (PSDB), o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) e secretários das duas administrações. No setor dos transportes, foi definida uma parceria para a ampliação do bilhete único mensal, ainda em estudo pela Prefeitura, para o metrô e para a CPTM. De acordo com Fernandes, o governo paulista aceita a proposta da Prefeitura, mas precisa discutir ainda questões técnicas e financeiras para a integração do sistema. “Mas como isso deve ocorrer no segundo semestre, ainda vamos trabalhar com calma”, afirmou.

Outro acordo firmado na área foi um convênio de cooperação técnica para a implantação de um corredor metropolitano para ligar a região do ABC a Guarulhos, passando pela cidade de São Paulo, na região da Avenida Jacu Pêssego, o investimento é de R$ 137 milhões.

Topo Voltar