Felsberg Advogados
Home | Estacionar carro em SP fica 26,9% mais caro
Publicações

Estacionar carro em SP fica 26,9% mais caro

Estacionamentos de São Paulo e do Rio estão entre os mais caros do mundo

Márcia De Chiara, de O Estado de S. Paulo

SÃO PAULO – O preço pago pelo paulistano e pelo carioca para estacionar o carro nos principais corredores comerciais de São Paulo e do Rio de Janeiro disparou e atingiu o maior valor desde o início da pesquisa da consultoria imobiliária Colliers Internacional, de 2010.

Rio e São Paulo também ocupam posições de destaque no ranking dos preços mais altos de estacionamento do mundo, pesquisados pela Colliers em 77 cidades, espalhadas por 14 países na América do Sul, América do Norte, América Central e Ásia.

O valor médio da diária de estacionamento na cidade de São Paulo aumentou 26,9% no primeiro semestre em relação a igual período de 2011. No ano passado o preço médio era R$ 27,13 e agora está em R$ 34,44. No Rio de Janeiro, a alta foi de 35,4%, de R$ 30,33 para R$ 41,08. Nas duas cidades o aumento superou de longe a inflação oficial, o IPCA, de 5,84%.

Movimento semelhante foi registrado pela pesquisa para as mensalidades dos estacionamentos. Em São Paulo, o valor médio da mensalidade aumentou 12,80%, de R$ 272,31 para R$ 307,19, do primeiro semestre de 2011 para o mesmo período deste ano. No Rio, a mensalidade subiu em média 19,10%, de R$ 335,83 para R$ 400, nos mesmos meses.

“O aumento da frota de veículos, o transporte coletivo deficitário e a presença de novos empreendimentos nos principais eixos comerciais das duas cidades explicam, em parte, a elevação dos valores”, diz Leandro Angelino, coordenador do Departamento de Pesquisa e Inteligência de Mercado da consultoria.

Ele destaca que a região de São Paulo que teve maior alta no valor da diária entre 2010 e 2012 foi a da Avenida Luiz Carlos Berrini, com aumento de 113%. No mesmo período, a região que registrou a maior elevação no preço da mensalidade dos estacionamentos foi a da Avenida Faria Lima, com alta de 45,3%.

Segundo o responsável pela pesquisa, a supervalorização dos preços do estacionamento nessas duas regiões paulistanas reflete o déficit de transporte público combinado com a maior oferta de edifícios comerciais. Em São Paulo, foram entregues 45 novos empreendimentos no último ano.

Para Angelino, a influência do déficit no transporte público nos preços cobrados pelos estacionamentos fica clara no caso da região da Avenida Paulista, um dos principais corredores comerciais de São Paulo. “Ali não houve variação de preços na mesma proporção porque a região tem metrô.”

Centro

Já a região central do Rio de Janeiro foi campeã de alta de preço de estacionamento entre 2010 e 2012, tanto nas diárias cobradas como nas mensalidades. Em dois anos, a diária subiu 47,2% e a mensalidade, 32%, atingindo R$ 500, em média. “No centro do Rio, os prédios são antigos e não há terrenos disponíveis para construir estacionamentos. O problema é crônico.”

A consultoria também pesquisa os preços cobrados pelos estacionamentos em 77 cidades espalhadas pelo mundo. O Rio de Janeiro ocupa o 18º lugar no ranking das diárias mais caras. O valor cobrado pela diária no Rio é de R$ 41,65, à frente de Lima, no Peru (R$ 40,02); Vancouver, no Canadá (R$ 39,25); Hartford e Washington, nos EUA (R$ 39,20).

São Paulo ocupa a 61.º lugar nessa lista, com uma diária de R$ 30,60, e quem encabeça o ranking é Melbourne, na Austrália, com uma diária de R$ 139,90.

No caso das mensalidades, Rio de Janeiro e São Paulo estão entre as cidades com estacionamento mais caro. O Rio ocupa a 25.ª posição, com uma mensalidade de R$ 400, e São Paulo está na 41.ª colocação, com R$ 306.

Angelino observa que as primeiras posições nos dois rankings são ocupadas por cidades bem servidas de transporte público. Nesse caso, o preço alto do estacionamento reflete a opção pelo transporte individual.

Topo Voltar