Felsberg Advogados
Home | Empresas anunciam prejuízos bilionários
Publicações

Empresas anunciam prejuízos bilionários

Maria Paula Autran e  Ricardo Schwarz

O segundo trimestre foi marcado por anúncios de prejuízos –alguns bilionários– em várias empresas do país.

Só ontem, sete entre as maiores companhias que divulgaram seus balanços tiveram resultado negativo no período. Embora não haja uma causa comum apontada para as perdas, juntas, elas somaram ontem R$ 3,6 bilhões.

A Braskem teve prejuízo R$ 1 bilhão, por causa do impacto de R$ 2,1 bilhões do resultado financeiro, prejudicado pela apreciação do dólar, disse a empresa. A CSN teve perda de R$ 1 bilhão, afetada pela reclassificação contábil, segundo a companhia.

A OGX, empresa de petróleo do grupo EBX, do empresário Eike Batista, teve prejuízo líquido de R$ 398,6 milhões no período.

No mesmo grupo, a MPX, de energia, encerrou o trimestre com prejuízo de R$ 135,2 milhões. A MMX, de mineração, teve perda de R$ 391,6 milhões, devido a quedas na produção e nas vendas das duas minas. A LLX, de logística, fechou o período com R$ 6,89 milhões negativos.

O prejuízo da Gol dobrou, impactado pela desvalorização do real e pelos custos altos com combustível.

Dias atrás, outras empresas já haviam registrado perdas no segundo trimestre.

A da Petrobras foi de R$ 1,3 bilhão. Outras foram TAM, PanAmericano, Usiminas, HRT, OSX e CCX.

Topo Voltar