Felsberg Advogados
Home | Dólar acima de R$ 2 aperta o orçamento de turistas
Publicações

Dólar acima de R$ 2 aperta o orçamento de turistas

Bianca Pinto Lima, do Economia & Negócios, e Cley Scholz, de O Estado de S. Paulo

Dólar acima de R$ 2 aperta o orçamento de turistas

SÃO PAULO – No fim de março, ao reservar hotéis e carro em Miami e Orlando para a viagem de férias, o gerente de marketing Marcelo Coletti, de São Paulo, usou a cotação do dólar de R$ 1,80 para planejar os gastos com a família. Nos últimos dias, com a cotação flutuando acima de R$ 2, ele já estuda como fazer para evitar estouro no orçamento. Nesta quinta-feira, a moeda à vista no balcão fechou em leve queda de 0,34%, a R$ 2,036. Já o dólar turismo ficou praticamente estável, a R$ 2,12.

Viajando muito a trabalho, como representante de uma multinacional do ramo farmacêutico, Coletti já vem evitando gastos no exterior. Ao retornar do México na semana passada, por exemplo, deixou de comprar um iPad. “Vou esperar um pouco para ver se o dólar volta a cair e fazer uma reserva para a próxima viagem”, comenta.

Na corretora Confidence Câmbio, uma das maiores casas de câmbio turismo do País, com mais de 80 filiais, o movimento não sofreu grande alteração nos últimos meses, apesar da alta acumulada do dólar de 6,82% no mês de maio e de 25,5% em 12 meses.

“Tem gente que deixa de comprar, mas também tem gente que compra apostando na alta”, afirma o dono da empresa, Paulo Volpe. Especialista no assunto, ele mesmo não recomenda o dólar como investimento. “É uma opção de reserva para quem vai viajar, mas no longo prazo existem muitas outras opções mais seguras e rentáveis”, afirma.

A assistente de marketing Beatriz Alencar, de 19 anos, foi acompanhando, com tensão, a escalada da moeda norte-americana ao longo deste ano. No final de janeiro, fechou um pacote de intercâmbio para agosto na Califórnia, nos Estados Unidos, com o dólar próximo a R$ 1,80. Em abril, quando decidiu comprar as passagens aéreas, já se deparou com uma taxa de câmbio de R$ 1,92. Agora, com a data da viagem se aproximando e a divisa acima de R$ 2, a preocupação é com o dinheiro que precisará levar.

Beatriz pretende comprar pequenas quantias mensalmente até a data de embarque e deixar a maior parte para a véspera, apostando na sorte. “Tinha planos de comprar uma câmera fotográfica profissional e um celular, mas vou ter de priorizar os passeios. E, mesmo assim, não vai dar para viajar todo o final de semana como eu pretendia”, conta.

Topo Voltar