Felsberg Advogados
Home | Base de celulares cresce 0,11% em julho com restrições às operadoras
Publicações

Base de celulares cresce 0,11% em julho com restrições às operadoras

Folha de São Paulo

O número de novas habilitações de celulares no país cresceu apenas 0,11% em julho, afetado pelas restrições impostas pela Anatel às operadoras Claro, Oi e Tim em diversos Estados.

Foram 279.723 novas habilitações, totalizando 256,41 milhões de linhas, segundo a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). O patamar de expansão ficou bem abaixo do verificado em anos anteriores no mês –acima de 1% desde 2000, na comparação com o mês anterior.

A restrição à venda de novas linhas pela Anatel começou a valer em 23 de julho e vigorou por 11 dias, até ser liberada 3 de agosto, após as operadoras apresentarem planos de melhoria do serviço.

No país, a maioria dos celulares são pré-pagos, 81,49% da base de acessos, enquanto os pós-pagos representam 18,51%. Dentre as operadoras, a Vivo segue na liderança, com 29,71% de participação no mercado, seguida de perto pela Tim, com 26,78% e Claro (24,60%). A Oi aparece em seguida, com 18,59%.

Os terminais 3G (banda larga móvel) totalizaram 53,95 milhões de acessos no mês.

A teledensidade (número de linhas para cada cem habitantes) teve maior crescimento na região Norte, com um aumento de 0,44%, enquanto a região Sudeste teve o pior desempenho no quesito, com redução de 0,20%. Salvador é a cidade com maior teledensidade, com 198,82 linhas para cada cem habitantes. São Paulo é a sexta, com 157,12 linhas.

Quanto à tecnologia, a GSM continua predominando, com 76% de participação. Outros 19% dos acessos são feitos através da tecnologia WCDMA. O resto é dividido entre terminais de dados.

Topo Voltar