Felsberg Advogados
Home | ANP prevê que país dobre produção de petróleo em 10 anos
Publicações

ANP prevê que país dobre produção de petróleo em 10 anos

Por Marta Nogueira | Valor Econômico – 17 de Janeiro de 2013

 

RIO – A diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustível (ANP), Magda Chambriard, afirmou há pouco que o Brasil deverá dobrar a produção e as reservas de petróleo dentro dos próximos 10 anos.

Segundo ela, no mesmo período, o país deverá ser capaz de exportar 1,5 milhões de barris de petróleo por dia.

As declarações foram feitas no palco de cerimônia que acontece, neste momento, no estaleiro Mauá, em Niterói (RJ), para a entrega do navio Rômulo Almeida à Transpetro, o quarto da encomenda de 49 navios no âmbito do Programa de Modernização e Expansão da frota (Promef), da estatal.

Magda ressaltou quer o país deve fazer crescer cada vez mais a carteira de navios a serem construídos no país. Também presente no evento, Marco Antonio Martins Almeida, secretário de petróleo, gás natural e combustíveis renováveis do Ministério de Minas e Energia, afirmou há pouco que o Brasil teve “enormes” descobertas nas áreas do pré-sal e tem um potencial muito grande além dessas regiões.

Almeida destacou a política de conteúdo nacional progressiva adotada pelo governo federal incluindo os fornecedores de bens e serviços do setor. “A indústria brasileira tem que se preparar porque teremos encomendas em grandes quantidades”, disse.

Rodada de licitação

Magda também demonstrou entusiasmo com o anúncio da 11ª rodada de licitação de blocos exploratórios de petróleo e gás, autorizado pela presidente Dilma Rousseff para maio deste ano, e também da 1ª rodada de blocos específicos da área do pré-sal, marcado para novembro de 2013.

“Minha expectativa é de muita procura por essas áreas, depois de quatro anos sem rodadas. As empresas estão reiterando o interesse pelo Brasil”, destacou ao chegar a evento no estaleiro Mauá, em Niterói, para a entrega do navio Rômulo Almeida à Transpetro, o quarto da encomenda de 49 navios no âmbito do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef), da estatal.

A diretora-geral da ANP reiterou que deverá haver também, ainda neste ano, uma licitação apenas para blocos de gás em terra. Segundo ela, a quantidade de áreas que deverão ser ofertadas com expectativa de reservas de gás é tão grande que “não é possível que [o volume] seja pequeno”. Há expectativas que haja reservas de gás não convencional nas regiões que serão ofertadas.

Gás em terra

A diretora-geral da agência confirmou também que será realizado neste ano um leilão específico para gás em terra. “A encomenda da presidente [Dilma Rousseff] é para que ocorra neste ano ainda”, disse Magda. “Nossos estudos estão indicando que a gente não pode deixar gás em terra para trás.”

Segundo Magda, bacias mapeadas pela ANP ainda precisam receber investimentos para confirmar as expectativas sobre volumes de gás. “Sabemos as áreas que podem ser produtoras, mas ainda não temos certeza”, completou.

Chevron

Chambriard afirmou ainda que a americana Chevron deve voltar a produzir “em breve”, no Campo de Frade, na Bacia de Campos. No entanto, ela preferiu não cravar uma data.

A companhia interrompeu a produção no início do ano passado após o segundo vazamento de óleo no local. O primeiro havia ocorrido no fim de 2011.

Segundo a diretora-geral da ANP, a empresa americana deverá entregar documentos à agência que provem a aptidão da empresa em voltar a produzir com segurança.

Álcool na gasolina

Magda Chambriard também declarou que o aumento da mistura do álcool na gasolina, de 20% para 25%, deve ocorrer em abril deste ano.

(Marta Nogueira | Valor)

Topo Voltar