Felsberg Advogados
Home | AgeRio lança programa de apoio à rede hoteleira
Publicações

AgeRio lança programa de apoio à rede hoteleira

Jornal do Commercio, Vinicius Medeiros, 28/fev

Com objetivo de ampliar e modernizar a rede hoteleira fluminense visando aos grandes eventos previstos no estado, a Agência Estadual de Fomento (AgeRio) assinou, ontem, convênio de cooperação técnica com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro (ABIH-RJ) para estimular o acesso de empreendimentos hoteleiros ao Programa de Apoio ao Turismo da agência, que dispõe de uma linha de crédito inicial de R$ 50 milhões.
O programa oferece dois produtos para o setor. Enquanto o AgeRio Hotéis, Pousadas e Albergues é voltado para modernização e ampliação de hotéis, o AgeRio Transformação de Motéis em Hotéis é direcionado a donos de motéis interessados em transformá-los em empreendimentos hoteleiros. O limite de crédito é de até R$ 2 milhões por projeto, com carência de até 24 meses e prazo de até 60 meses. Já a taxa de juros é a partir 0,76% ao mês.
“Fazemos atendimento customizado. Dependendo da viabilidade financeira do empreendimento, os juros, prazos e carência podem ser renegociados”, afirma o presidente da AgeRio, Domingos Vargas, acrescentando que o programa é totalmente financiado com recursos próprios.
Embora o programa seja destinado a empreendimentos de todos os portes, ele consegue ocupar uma lacuna não preenchida pela ProCopa Turismo, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), normalmente acessado por grandes projetos.
“Hotéis de médio e pequeno porte, alem de pousadas, são o foca É uma ação emergencial e pontual para atender a demanda de Copa e Olimpíada”, afirma Vargas, destacando que a agência tem outras linhas de crédito que podem ser acessadas por hoteleiros. “Financiamos ainda compra de maquinário, programas de treinamento de pessoal e aquisição de equipamentos que promovam a redução de impactos ambientais”.
Segundo o presidente da AgeRio, a agência dispõe atualmente de recursos em alavancagem de R$ 3 bilhões. “Nossa missão é estimular o desenvolvimento econômico do Rio, mas não vamos alocar recursos em negócios inviáveis. É tudo muito bem planejado”, conta Vargas. “Somos agente financeiro do BNDES e de outras instituições. O que diferencia nossos produtos é o funding de cada um.”
Motéis
Vice-presidente para o setor de motéis da Abih-RJ, Antônio Cerqueira diz que a linha dc financiamento vem em boa hora.
Segundo ele, devido à queda na demanda, já existe desde 2010 um movimento por parte dos empresários em adaptar seus negócios para a hotelaria, mas faltavam recursos para colocá-lo em prática. “Havia uma demanda da prefeitura e da Empresa Olímpica Municipal (EOM) neste sentido por conta da carência de leitos na cidade para os grandes eventos.”
Segundo ele, a prefeitura concede incentivos fiscais para quem quer fazer a adaptação, como a remissão de Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU). “Hoje, dispomos de 180 motéis na cidade, com 18 mil leitos. O município nos solicitou 3,5 mil quartos adaptados até a Olimpíada, mas podemos chegar a 7 mil.”
De acordo com Cerqueira, vários motéis já estão se adaptando, como o Shalimar, na Avenida Niemeyer, no Leblon, o Vila Regia, na Saúde, e o Gallant, na Praça da Bandeira. “A demanda maior será por linhas
voltadas para adaptação do empreendimento. E preciso construir lobbies e refeitórios”, diz.
Para o presidente da Abih-RJ, Alfredo Lopes, com o incremento de demanda por hospedagem no Rio, é fundamental ajudar os pequenos e médios empreendedores a atualizar seus negócios. “O convênio com a
AgeRio viabiliza também a formalização de pequenos negócios, como os de hospedagem domiciliar e albergues”, afirma.

 

Topo Voltar